Educação Financeira x Estilo de Vida

Hoje vamos reciclar novamente. O texto abaixo foi originalmente escrito para o jornal Valor Econômico, e foi e publicado na coluna “Palavra do Gestor” em 23/03/2011.

Quando falamos em Educação Financeira pensamos mais sobre o controle de fluxo de caixa pessoal (receitas x despesas), a gestão de patrimônio, o planejamento para a realização de sonhos e desejos de consumo e a sobrevida no futuro, e pouco se fala sobre como as decisões de estilo de vida influenciam no todo, desde o consumo corrente até o estabelecimento dos objetivos futuros e o quanto isso pode afetar a satisfação e a felicidade alcançadas, ou não.

O estilo de vida é influenciado pela vivência familiar, visto que as pessoas tendem a reproduzir padrões que viveram na infância na casa dos pais, ou a busca pela melhoria no padrão com base no vivenciado na casa de parentes e amigos ou do sonho idealizado pela mídia, pelas telenovelas e pelo cinema. A grande dúvida é: os pais estão preparando seus filhos para reproduzir ou melhorar seu estilo de vida durante a vida adulta? Ou estão criando pessoas que serão frustradas por não conseguirem manter este estilo?

O que vamos discutir hoje é o quanto as decisões de como e com o quê gastar dinheiro podem trazer satisfação pessoal, ou não, e como isso influencia na educação financeira das futuras gerações. Afinal, dinheiro serve para quê? As respostas são infinitas porque são pessoais e sofrem influência do quê foi aprendido por cada pessoa durante a sua formação enquanto indivíduo, em casa e na escola, refletindo os valores da cada um. No meu ponto de vista, dinheiro serve para ter conforto e se permitir momentos de prazer. Isso quer dizer morar em uma casa bonita e agradável, ter um bom automóvel, freqüentar bons restaurantes e fazer viagens legais, entre outras coisas.

É a tal história: dinheiro compra felicidade? Não, mas é um atalho para ela. Portanto, saber ganhar e gerenciar o uso do dinheiro são muito importantes para ser feliz. Então, não basta falarmos sobre como gerenciar o próprio dinheiro, é importante também falarmos em como aprender a ganhar dinheiro e como ensinar aos nossos filhos as bases para ganhar e gerenciar o próprio dinheiro.

Mesmo famílias empreendedoras devem educar seus filhos a buscar seus próprios caminhos na vida e serem capazes de se sustentar. As famílias normalmente crescem mais e mais rapidamente do que o negócio, que com o passar de algumas gerações não será mais suficiente para suprir o sustento de todos os membros da família. É importante orientar os filhos para terem algum desejo na vida, uma ambição, que será o objeto catalisador da busca, o objetivo a ser alcançado, e que fará com que ele gere renda própria e tenha satisfação pessoal na vida adulta.

A forma como os pais lidam com dinheiro tende a ser reproduzida pelos filhos, portanto o grande desafio dos pais não é só ensinar aos filhos o valor do dinheiro no tempo, a importância de se fazer poupança, de ter várias poupanças separadas para cada objetivo a ser alcançado (a casa própria, o carro, a faculdade, uma viagem, a festa de casamento etc); mas também pensar e decidir seus próprios gastos sabendo que eles afetarão a forma como seus filhos irão lidar com dinheiro: pais que gastam demais e não fazem poupança tendem a gerar filhos que lidam com dinheiro da mesma forma que eles. E se eles não forem capazes de ganhar dinheiro suficiente para sustentar o mesmo estilo de vida? Serão certamente adultos frustrados.

A educação financeira da futura geração deve ser pensada desde que o bebê está na barriga da mãe, ou até mesmo antes, quando o casal ainda faz planos para os futuros filhos. O casal deve conversar e acordar sobre seus próprios gastos e sobre como será a educação financeira de seus filhos. Devem ensiná-los desde cedo a deixar de consumir no presente (hoje) para ter um benefício no futuro (alcançar um objetivo), isso tornará o ato de fazer poupança mais leve e prazeroso, porque eles visualizarão o benefício a ser atingido.

Portanto, pense no estilo de vida que você quer ter, e eduque seus filhos para serem capazes de gerar renda suficiente para sustentar o mesmo estilo de vida e também que sejam capazes de gerenciar a própria renda, para que no futuro eles sejam adultos felizes.

Sobre Lavínia Martins, CFP®

Planejadora Financeira, autora e palestrante sobre Finanças Pessoais, possui a Certificação CFP® desde 2010, é ex-sócia da FinPlan Consultoria e Gestão Financeira, possui 12 anos de experiência no mercado financeiro, atuando com planejamento financeiro pessoal e gestão patrimonial, e 3 anos em finanças corporativas de multinacionais como Louis Dreyfus Commodities e Rohm and Haas Química (hoje parte do grupo Dow Química). Especialista em Gestão de Patrimônio Familiar pela Columbia University, com pós-graduação em Finanças pelo IBMEC-São Paulo/Insper e graduação em Administração de Empresas pela PUC-SP.
Galeria | Esse post foi publicado em 1. Planejamento Financeiro, 3. Educação Financeira, 4. Educação Infantil, 7. Na mídia e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s